Superando ressentimentos

Superando ressentimentos

001Superando ressentimentos

Aprenda a Superar Ressentimentos e Magoas

            Ressentimentos e mágoas destroem você de dentro para fora, causando danos muitas vezes irrecuperáveis.
            Manter a mente e o coração sobrecarregados,com ressentimento e mágoa equivale andar pela vida com uma bomba prestes a explodir.
            São sentimentos que corroem as nossas possibilidades de prosperidade e felicidade.

Dicas para neutralizar a raiva e a magoa:

            Felizmente existe um antídoto: “Mudança de Consciência”!
            Somente a mudança dos modelos mentais podem nos dar a condição de perdoar.
            Outra atitude: “Aprenda a dar preferência para viver em paz e harmonia com tudo e todos ao invés de querer provar que sempre tem razão.
            Perdoar não é uma coisa tão simples e por isso nem todo perdão é benéfico; afinal, nem todo perdão é sincero, enquanto não for verdadeiro. Mas ao menos não fique alimentando esse sentimento
            Algumas pessoas dizem que quando sofrem uma ofensa, perdoam. Estão na verdade fazendo sua autopromoção, querendo provar a si mesmo e aos outros como ele é especial por ter perdoado.
            Mas também é importante saber que carregar a magoa e não perdoar constitui energia reprimida que conduz a doenças psicossomáticas.
            Se nos magoamos ou nos sentimos ofendidos quando alguém diz que nós agimos mal, ou não somos amigos de verdade, provavelmente estas pessoas estejam certas!
            Esquecer a mágoa e ressentimento não significa esquecer o fato! Os fatos, muitas vezes, permanecem na memória e são motivo de aprendizado.
            Devemos esquecer (deixar de sentir) a emoção negativa que toma a forma de revolta, mágoa. Ou seja, se perdoamos verdadeiramente, conseguimos lidar com os fatos como algo distante, algo que não nos atinge mais, embora lembremos que eles aconteceram.
            Quando ouvimos:
– “Esqueça os males que te fizeram” – “Perdoai as nossas ofensas assim como devemos perdoar a quem nos tem ofendido”. Na verdade é para deixar de manter o sentimento de raiva e mágoa.
O Poder destrutivo do Ressentimento e da Magoa contidos:
            A raiva e a mágoa são sempre destrutivas, mesmo quando não se exteriorizam. Algumas pessoas pensam que, se não colocam para fora a revolta e a raiva não terão problemas. Engano, pois a pessoa acumula esta energia como um verdadeiro vulcão prestes a entrar em erupção. 
            Conseguir se libertar da magoa e da revolta é importante para o outro, mas é mais importante para você! Quando perdoa, você se liberta. Com o perdão, as algemas que te prendiam ao passado se rompem e você passa a respirar aliviado e a caminhar livremente.
            Não há relacionamento sincero sem aceitação. Aceitar não significa concordar passivamente, mas  sim, significa compreender!
            Para perdoar precisamos compreender a nós mesmos e aos outros.
E, mesmo que não cometêssemos o mesmo erro, isso se deveria apenas ao fato de já termos aprendido uma lição que ele ainda não aprendeu.
            Se aprendemos a lição é porque já passamos por ela, ou seja, já erramos muitas vezes. Se não sentimos pelo outro a mesma compreensão que sentimos em nossa própria defesa, então, nosso perdão não existe, ele é pura vaidade.
            Se alguém errou com você, ainda que gravemente, não perca tempo e muito menos a saúde do corpo e da alma alimentando o ressentimento e a mágoa. Elas te mantêm aprisionado ao passado. Perdoe e sinta seu caminho completamente livre.
            Perdoar é mais inteligente. No mínimo vai fazer bem para você mesmo. Perdoar é libertar primeiro a si mesmo, depois ao outro.
Mahatma Ghandi e o perdão:
            Certa vez perguntaram a Mahatma Ghandi se ele perdoava com muita frequência, ao que ele respondeu: “Não, ninguém nunca me ofendeu”.
            Você só precisa perdoar quando se magoa ou se sente ofendido. Quando vencer estas situações perceberá que não há mais necessidade perdoar.
           
            Aprendendo a não sentir magoa e a não se sentir ofendido com tanta frequência, você precisará perdoar menos, e isso equivale a ter aprendido a não acumular revolta e magoa.    
           
            Dizem que o amor é a porta da felicidade. Então o perdão é a única chave que pode abrir esta porta de dentro para fora!
            O sentimento da raiva contida, que é natural, tem por objetivo nos ajudar a resolver nossos problemas, incluindo as ofensas, traições ou quaisquer outros atos que as pessoas nos produzem. Quando somos inibidos na nossa raiva, quando temos medo de expressá-la, ela congela dentro de cada um de nós e se transforma em mágoa.
Mágoa é toda raiva que ficou para depois. É a raiva dentro do congelador.
            É o medo de resolver nossos conflitos com outras pessoas, no momento em que aparecem. Guimarães Rosa define, magistralmente, a mágoa no seu livro Grande Sertão: Veredas. “Mágoa é lamber frio o que o outro cozinhou quente demais para nós.”
            A pessoa rancorosa apresenta as seguintes dificuldades:
1- Aceitar a imperfeição humana, idealizando uma realidade onde as pessoas nunca falhem com ela.
2- Deixar claro o seu desagrado para o outro.
3- Em viver o momento presente, sendo extremamente apegada ao passado.
            Por isso, a pessoa que guarda mágoa, em geral, vive muito do passado. Porém, depois de instalada a mágoa, só nos resta uma saída: 
– o perdão.
            Se a mágoa nos envenena e machuca, o perdão nos alivia e cura. Pode-se medir a sanidade psicológica de alguém pela sua capacidade de perdoar. O perdão é a ponte que nos faz sair da depressão para a alegria.
            Por que tanta dificuldade em perdoar? Porque há equívocos em torno do perdão que nos dificultam o exercício dele.
            Primeiramente, há uma crença falsa de que o beneficiário do perdão é a pessoa que nos ofendeu. O perdão é algo bom para quem perdoa. Perdoar é ficar livre da dor provocada pelo outro. É ficar livre daqueles que nos magoaram. É um presente dado a mim mesmo.
            Em segundo lugar, há uma ideia igualmente falsa de que, ao perdoarmos, devemos “esquecer” o mal que nos fizeram e voltar a ter com a pessoa o mesmo relacionamento de antes. Perdoar não é esquecer. È apenas parar de sofrer. Não nos incomodarmos mais com o que aconteceu no passado.             Devemos, porém, aprender com a experiência acontecida e podemos, a partir daí, escolher qual o novo relacionamento que teremos com o “ofensor”.
            Perdoar não significa fazer de conta que nada aconteceu. Pelo contrário, temos de levar em conta a experiência, temos de tomar posição diante do que aconteceu, revendo a relação, e por isso mesmo, nos livrando do sofrimento.
            A mágoa deteriora os relacionamentos porque ao invés de resolvermos os problemas, ainda que com uma briga, guardamos a raiva no coração e ela se transforma em hostilidade, frieza e desprezo na relação, distanciamento sexual, traição e outras formas de vingança.

2 comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *