Desconstruções

Desconstruções

Desconstruções

Desconstruções

Desconstruções

 

Uma vez ouvi que a desconstrução de pessoas em nossas vidas é muito importante, não pode ser levada como decepção, mas como algo de aprendizado, muitas vezes construímos imagens de pessoas, mas esta é uma imagem verdadeira, tem a ver com as nossas expectativas, ou é uma imagem que a pessoa vende de si mesma?

Se esta pessoa for bem parecida com a imagem que projetou em nós, desfazer-se deste amor, mais tarde, não será tão penoso. Restará a saudade, talvez uma pequena mágoa, mas nada que resista por muito tempo. No final, sobreviverão as boas lembranças.

Mas se esta pessoa “inventou” um personagem e você caiu na arapuca, aí, somado à dor da separação, virá um processo mais lento e sofrido: a de Desconstrução daquela pessoa que você achou que era real.

Quando desconstruímos Maria, Joao, passamos por um processo de ilusão a realidade, mas é muito importante desfazer-se da ilusão. E na vida será descontruído diversos Joao diversas Maria é o processo normal que cada um de nos vivemos a não ser que a pessoa passa a vida na ilusão se isso é bom ou ruim depende de cada pessoa, eu, por exemplo, prefiro a desconstrução.

Milhares de pessoas estão vivendo seus dias aparentemente numa boa, mas por dentro estão Desconstruindo ilusões, tudo porque se apaixonaram por uma fraude, não por alguém autêntico. Ok é natural que, numa aproximação, a gente “venda” mais nossas qualidades que defeitos.

Ninguém vai iniciar uma história dizendo: muito prazer, eu sou arrogante, preguiçoso, não escovo os dentes, não tomo banho. Nada disso, é a hora de fazer charme. Mas isso é no começo. Uma vez o romance (romance também pode ser apenas uma amizade) engatado, aí as defesas são postas de lado e a gente mostra quem realmente é nossas gracinhas e nossas imperfeições. Isso se formos honestos. Os desonestos do amor são aqueles que fabricam ideias e atitudes, até que um dia cansam da brincadeira, deixam cair à máscara e o outro fica ali, atônito.

Quem se apaixonou por um falsário, tem que desconstruí-lo para se desapaixonar. É um sufoco. Exige que você reconheça que foi seduzido por uma fantasia, que você é capaz de se deixar confundir, que o seu desejo de amar é mais forte do que sua astúcia. Significa encarar que alguém por quem você dedicou um sentimento nobre e verdadeiro não chegou a existir, tudo não passou de uma representação – e olha, talvez até não tenha sido por mal, pode ser que esta pessoa nem conheça a si mesma, por isso ela se inventa.

Sim, pois existem muitas pessoas que não se conhecem, por falta de querer, por não saber, e vive representando.

Desconstruções é necessário e a vida que segue vivendo e aprendendo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *